Suspeito de liderar PCC em Franca é preso por tráfico

Durante uma abordagem de rotina, a Polícia Militar de Franca, na região de Ribeirão Preto, prendeu, no final da tarde de quarta-feira, 30, o borracheiro Renon Tomás da Costa, de 29 anos, o Vaca. Costa foi autuado por tráfico de drogas, resistência à prisão e ameaças de morte a um PM e à sua família. Ele é suspeito de ser um dos líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) na zona norte de Franca. Na Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Costa negou ser integrante do PCC e acusou os policiais de terem feito uma armação contra ele.Costa já estava sendo investigado pela polícia francana por ser o suposto comandante de ataques a ônibus urbanos (incendiados) e a casas de policiais. Um PM, que teve a casa alvejada por tiros, inclusive, coincidentemente, foi um dos responsáveis pela prisão de Costa. O borracheiro estava na garupa de uma moto, pilotada por uma mulher, mas não parou na primeira abordagem policial. Ele jogou uma sacola e pouco depois a moto foi estacionada. A polícia recuperou a sacola, que continha quase 100 quilos de maconha. Por isso Costa foi preso em flagrante, pois não havia ainda mandado de prisão contra ele, apesar das investigações. Costa também é suspeito de ser caixa do PCC na cidade. Ele foi levado para a Cadeia do Jardim Guanabara.Outro suspeito de integrar o PCC, Elton Miranda de Almeida, de 23 anos, o Bicudo, foi detido em 2 de agosto. Apesar de procurado, também foi detido por acaso, em abordagem de rotina. Ainda na quarta, 30, quatro suspeitos de integrarem o PCC foram detidos, no Jardim Redentor, para averiguação. Eles estavam com R$ 700 em dinheiro, que seriam depositados numa conta bancária. Os quatro têm passagens por tráfico ou homicídio, mas não eram procurados e foram liberados. Porém, o dinheiro foi apreendido e a polícia de Franca irá rastrear a conta bancária na qual seria feito o depósito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.