Suspeito de matar Arthur Sendas prestará novo depoimento

Empresário foi morto dentro de seu apartamento no domingo; suspeito é motorista da família

Pedro Dantas, de O Estado de S. Paulo,

21 Outubro 2008 | 11h31

A versão do motorista Roberto Costa Júnior, de 28 anos, principal suspeito de assassinar o empresário Arthur Sendas, não convenceu a Polícia do Rio. Na segunda-feira, 20, ao se entregar, ele confessou que foi armado até a casa do empresário, mas disse que a arma disparou acidentalmente. Na tarde desta terça-feira, 21, o acusado deve prestar novo depoimento na 14ª Delegacia de Polícia onde está preso e, em seguida, deve ser transferido para uma das carceragens da Polinter.   Veja também: Corpo do empresário Arthur Sendas é enterrado no Rio Rede Sendas começou como armazém na Baixada Fluminense Rio decreta três dias de luto por morte de Arthur Sendas     Costa Júnior apresentou-se à polícia no início da noite de segunda. O anúncio foi feito pela assessoria de comunicação da Polícia Civil. Dono da rede varejista de supermercados Sendas, o empresário foi baleado no fim da noite de domingo, 19, em seu apartamento, no Leblon, na zona sul, e morreu de madrugada, no Hospital Samaritano, em Botafogo. O suspeito trabalhava para um dos netos da vítima e é filho de um motorista da família.   Ao se apresentar, Costa confessou ter matado o empresário, disse que o disparo foi acidental e pediu desculpas à família Sendas. À polícia, ele entregou a pistola usada para matar o ex-patrão. O motorista contou que, por volta das 22h30, foi à casa do empresário. Disse ainda que "tinha liberdade para ir ao Dr. Arthur levar seus problemas diretamente" mas que Sendas, ao contrário do habitual, não o teria recebido bem. Houve uma discussão e a pistola, que estava presa em sua bermuda, caiu.   "Estávamos no meio de uma discussão. Minha arma estava na cintura, escorregou e caiu no chão. Quando fui pegar a arma, ele a segurou junto comigo. Quando puxei a arma, ela disparou. Fiquei desesperado quando ele caiu e saí do prédio", disse o motorista. Costa Júnior afirmou que decidiu se apresentar por não ser bandido e querer explicar que a morte do empresário foi um "acidente".   A rendição de Roberto aconteceu com a ajuda de um policial seu amigo e foi chefiada pelo delegado Ruchester Marreiro, do Departamento de Polícia Especializada. Depois de ser apresentado à imprensa, o preso foi levado à 14ª Delegacia de Polícia para prestar depoimento.  

Mais conteúdo sobre:
Arthur Sendas assassinato

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.