Suspeito de matar brasileira em boate na Suíça fugiu para Cuba

Autoridades suíças pedem que governo de Cuba prenda o suspeito e o entregue para ser interrogado

Jamil Chade, O Estado de S. Paulo,

13 Julho 2009 | 15h20

A Justiça da Basileia anuncia que o principal suspeito de ter matado uma brasileira em um night clube na cidade suíça conseguiu fugir para Cuba. As autoridades suíças pediram que o governo de Havana prenda o suspeito e o entregue para ser interrogado.

 

Na madrugada entre sexta-feira e sábado, a brasileira, cujo nome não foi revelado, foi espancada até a morte na Basileia. A vítima trabalhava em um bar conhecido por seus serviços de acompanhantes brasileiras. Segundo os donos do estabelecimento, ela foi vista pela última vez com um dos clientes do estabelecimento às 2 da manhã de sábado.

 

Mas no final da tarde do sábado, ela foi encontrada espancada e morta em seu quarto, no primeiro andar do bar e que também servia como seu apartamento para onde levava os clientes.

 

Segundo Peter Gill, comissário do Ministério Público da Basileia, o suspeito é um cubano de 36 anos. "Vamos pedir, por meios diplomáticos, que o suspeito seja preso em Cuba", disse Gill.

 

Por razões táticas, as autoridades se recusam a dar maiores detalhes sobre o crime. Funcionários do bar onde trabalhava a brasileira revelaram que o cubano vive na Suíça e que é casado também no país.

 

Segundo Gill, o caso ocorreu dentro do Brasil Bar Novo Help, na Basileia. A brasileira trabalhava no bar como "animadora". Ela tinha 45 anos, estava casada com um suíço e tinha um filho no Brasil e outro na Suíça.

 

Não há ainda uma definição sobre o destino do corpo da brasileira. Um de seus filhos chega na terça à Basileia, vindo do Brasil.

Mais conteúdo sobre:
brasileira morta na Suíça Suíça crime

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.