Suspeito de matar Eliza Samudio é preso em Belo Horizonte

Segundo polícia mineira, estrangulamento ocorreu na casa do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos

Priscila Trindade, Julia Baptista e Pedro Dantas - estadão.com.br,

08 de julho de 2010 | 19h45

 

 

SÃO PAULO - O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, apontado como o autor do homicídio de Eliza Samudio, de 25 anos, foi preso na noite desta quinta-feira, 8, no bairro Barreiro, em Belo Horizonte. Conhecido como Bola, Paulista ou Neném, o acusado tem uma casa no município de Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, onde, segundo a polícia mineira, ocorreu o crime.

 

Veja também:

linkJustiça autoriza transferência de Bruno para Minas

linkPlano era matar também o filho de Eliza Samudio, diz delegado

linkGoleiro presenciou sequestro e assassinato, diz polícia mineira

linkBruno, após prisão: 'Copa de 2014 acabou'

mais imagens GALERIA - Imagens do desenvolvimento do caso

especialESPECIAL - A cronologia do caso Bruno

 

De acordo com o delegado Edson Moreira, o goleiro do Flamengo Bruno Fernandes presenciou o sequestro e o assassinato da jovem. Ontem, ele e seu amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, conhecido como Macarrão, se entregaram.

 

Hoje, eles foram transferidos ara o presídio Bangu 2, no Complexo Penitenciário de Gericinó, zona oeste da capital fluminense. À noite, a Justiça autorizou a transferência para Minas Gerais.

 

A polícia chegou até o ex-policial após receber informações de um jovem de 17 anos, primo do goleiro Bruno. O adolescente foi detido na terça-feira, na casa do atleta no Recreio dos Bandeirantes, no Rio. O garoto confessou ter participado do sequestro de Eliza na noite do dia 4 de junho, na saída de um hotel na Barra da Tijuca, e afirmou que a jovem foi morta por estrangulamento.

 

A estudante e Bruno mantiveram um relacionamento extraconjugal. Ela tentava provar na Justiça que Bruno é pai de seu filho de quatro meses. Ainda nesta sexta-feira, a Justiça concedeu a guarda provisória do filho de Eliza, que estava com Luiz Carlos Samudio, para a mãe da estudante, Sônia Moura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.