Suspeito de matar guitarrista do Detonautas é detido em favela do Rio

Peterson Costa teria sido beneficiado com saída temporária do presídio onde cumpre pena no semiaberto, mas não teria retornado

Marcelo Gomes, O Estado de S. Paulo

27 Maio 2013 | 10h40

RIO - Condenado pelo envolvimento no assalto que resultou na morte do guitarrista Rodrigo Netto, conhecido como Nettinho, da banda Detonautas, em 2006, Peterson Oliveira da Costa, de 25 anos, foi detido na madrugada desta segunda-feira, 27, no Morro da Mangueira, zona norte do Rio, por policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), contra ele há um mandado de prisão em aberto - Costa teria sido beneficiado com uma saída temporária do presídio onde cumpre pena no regime semiaberto, mas não teria retornado.

O suspeito negou que estivesse foragido e alegou que havia um erro no sistema informatizado, mas sua situação foi confirmada e às 14 horas ele foi transferido da 19ª DP (Tijuca) para o presídio de Bangu 2.

Quase três meses depois do crime, ele foi preso pela Polícia Civil em 31 de agosto de 2006, na Favela Vila Aliança, zona oeste, após uma denúncia anônima sobre seu paradeiro. Na ocasião, ele admitiu ter participado da morte de Nettinho.

O crime ocorreu na Avenida Marechal Rondon, no bairro do Rocha, zona norte, em 4 de junho daquele ano. Nettinho, então com 29 anos, voltava de uma festa de família em Cascadura, na zona norte, com o irmão Rafael, de 32 anos, e a avó, Maria, de 87 anos. Com medo dos episódios de violência na Linha Amarela, o músico decidiu fazer o trajeto de volta para casa pela Avenida Marechal Rondon. No bairro do Rocha, foi interceptado por um outro Astra, com três rapazes. Acelerou para tentar fugir dos criminosos, que dispararam em direção ao carro. Nettinho foi atingido sob a axila esquerda. A bala chegou ao coração, matando o músico na hora. O irmão dele e uma pedestre também foram baleados e sobreviveram.

Além de Costa, outros dois menores estavam no Astra utilizado na ação. Um suspeito, então com 17 anos, foi preso três dias depois do crime, ao participar de outro assalto. Um rapaz, que tinha 16 anos na época, foi detido no câmpus da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), no Maracanã, próximo ao local do crime.

Semiaberto. De acordo com a Vara de Execuções Penais (VEP) do Tribunal de Justiça do Rio, Costa obteve a progressão para o regime semiaberto em fevereiro de 2012. Em fevereiro deste ano, ele conseguiu o benefício da Visita Periódica ao Lar (VPL) duas vezes por mês, bem como no seu aniversário, na Páscoa, nos Dias das Mães e dos Pais, no Natal e nas festividades de ano-novo. De acordo com a decisão do juiz, "as saídas se darão às 6h com retorno até as 22h do mesmo dia. Exceção feita ao Natal, quando a saída se dará a partir das 6h do dia 24, e o retorno até as 22h do dia 25, e aos festejos do ano-novo, quando a saída se dará no dia 31 de dezembro, e o retorno no dia 1º de janeiro, com o mesmo horário de saída e retorno".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.