Suspeito de matar juiz pede dinheiro para se entregar

Acusado de ser o assassino do juiz corregedor Alexandre Martins de Castro Filho, Odessi Martins da Silva Júnior, o Lombrigão, fez uma proposta inusitada ao secretário da Segurança Pública do Espírito Santo, Rodney Miranda. O pistoleiro queria se entregar à polícia em troca do prêmio de R$ 10 mil oferecido por sua captura. "O tipo de negociação que ele propôs eu não aceito", disse Miranda hoje.A conversa entre o criminoso e o delegado aconteceu na quinta-feira. Primeiro, Lombrigão ligou para a Secretaria da Segurança Pública, cujo telefone fora divulgado por um jornal. "A pessoa se identificou como alguém que sabia onde o Lombrigão estava e disse que queria dinheiro para comprar uma casa. Falei que não negocio com vagabundo e desliguei", disse o delegado. Ele afirmou acreditar que o interlocutor era o próprio foragido.No mesmo dia em que Lombrigão falou com o secretário, o jornal "A Tribuna", de Vitória, publicara reportagem com o criminoso, que teria ligado para o jornal. Ele estaria disposto a se entregar, mas não o fizera ainda por medo de ser assassinado. Lombrigão teria revelado então que planejava fazer reféns para se render na presença da imprensa. Ouvido pelo jornal, o secretário disse que Lombrigão poderia entrar em contato com a secretaria. Até o início da noite de hoje Lombrigão não se entregara e equipes das polícias Civil e Militar continuavam a caçá-lo.A polícia tem evidências de que o criminoso continua na Grande Vitória. A polícia anunciou hoje que vai pedir a quebra dos sigilos telefônicos das dez pessoas presas quinta-feira em Pancas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.