Suspeito de matar outro líder é preso em RO

ESPECIAL PARA O ESTADO / MANAUS

Liege Albuquerque, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2011 | 00h00

O principal suspeito de assassinar o líder do Movimento Camponês Corumbiara, Adelino Ramos, o Dinho, na sexta-feira passada, foi preso ontem pela Polícia de Rondônia. De acordo com a assessoria da Polícia Civil, Ozeas Vicente da Silva, de 34 anos, foi detido em um fazenda em Vila Extrema, onde estava escondido.

A polícia já investigava o suspeito e havia decretado sua prisão preventiva. Quando os policiais chegaram à fazenda, Silva não teve como fugir - as estradas e fronteiras foram fechadas -, e acabou se entregando.

O suspeito está detido em um quartel da Polícia Militar na cidade de Nova Califórnia, também em Rondônia. Ele prestou depoimento ontem mesmo, mas até o fechamento desta edição a polícia não havia divulgado mais informações sobre o caso.

Segundo a assessoria, a polícia vai apurar o envolvimento de Silva no crime e, caso a suspeita seja confirmada, tentar entender suas motivações. O setor de inteligência da Polícia Federal (PF) está auxiliando a Polícia Civil de Rondônia a descobrir se o suspeito tem antecedentes criminais e envolvimento em outras ocorrências.

Remanescente do massacre de Corumbiara, Dinho foi executado na manhã da última sexta-feira, em Vista Alegre do Abunã, que fica na divisa entre Rondônia, Acre e Amazonas. Segundo a assessoria da Secretaria de Produção do Amazonas, ele estava vendendo verduras que produzia em um assentamento do Incra, quando foi morto a tiros. O assentamento fica ao sul de Lábrea, o município mais desmatado do Amazonas.

Dinho foi atingido por seis tiros, chegou a ser socorrido e levado para o hospital, mas não resistiu. De acordo com informações da secretaria, o agricultor vinha recebendo ameaças de madeireiros da região.

O movimento liderado por Dinho foi formado depois do massacre de Corumbiara, em fevereiro de 1996, com objetivo de dar continuidade às reivindicações dos camponeses sem-terra. / COLABOROU MARCELA GONSALVES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.