Suspeito de pedofilia é preso

Homem é acusado de atrair meninas para seu carro

Andressa Zanandrea e Simone Menocchi, O Estadao de S.Paulo

27 de março de 2008 | 00h00

O treinador de vendas Hélio Argentoni de Vasconcelos, de 45 anos, foi detido, na tarde de anteontem, sob suspeita de molestar uma menina de 13, na Vila Nova Galvão, na zona norte de São Paulo. Ela foi encontrada pela polícia no carro dele, um EcoSport prata, parado em local ermo, por volta das 15 horas. Vasconcelos, formado em Pedagogia, casado e pai de dois filhos, vai responder por atentado violento ao pudor. Além da garota, três vítimas - uma delas de 5 anos - foram identificadas.Após ver o carro, PMs da 1ª Companhia do 43º Batalhão resolveram checar a placa e descobriram que havia boletim de ocorrência registrado contra o condutor em Guarulhos. Ao ver a viatura, Vasconcelos teria tentado fugir. Houve perseguição por cerca de 2 quilômetros, até a Rodovia Fernão Dias. A garota estava no banco do carona e teria sido abordada perto da casa dela. Ela, que vestia top amarelo e short curto, contou que o homem teria se masturbado na presença dela, mas que não a estuprou. Disse que teria estado com ele em outras quatro ocasiões - e ele lhe dava dinheiro, de R$ 10 a R$ 45. Vasconcelos negou."Como a vítima tem menos de 14 anos, a lei presume violência", disse o delegado-assistente Renato Felisoni, que acredita que Vasconcelos seja doente.Parentes de duas estudantes de 13 e 14 anos estiveram no 73º DP, do Jaçanã. Na tarde do dia anterior, Vasconcelos teria tentado colocar a garota de 14 dentro do carro, no Parque Continental 2. A vítima disse à mãe que era a quarta vez que aquilo ocorria. A estudante de 13 teria sido abordada duas vezes, no mesmo bairro. "Ele ficou esperando na saída da escola. Quando a menina saiu, ele a puxou pelo braço. Ela mor deu o braço dele e saiu correndo", contou uma motorista de transporte escolar, que não quis ser identificada. Outra vítima seria uma menina de 5 anos. "Ele tentou passar a menina pelo vidro da porta. Fechei o carro dele e ele largou a criança, que caiu no chão e fugiu." REAÇÃO A ESTUPROUma garota de 16 anos morreu anteontem em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, depois de ter sido espancada ao reagir a uma tentativa de estupro. Luana Costa Moreira teria sido morta pelo próprio tio, o pedreiro Paulo Sérgio Vilas Boas, de 34 anos. Ele foi preso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.