Suspeito de ter atirado em casal de bebês é preso em Minas Gerais

Antônio Moreira Pires, conhecido como 'Pedrão', foi encontrado em uma fazenda; ele teria disparado a mando do pai das crianças

Marcelo Portela, O Estado de S. Paulo

19 de fevereiro de 2015 | 18h48

BELO HORIZONTE - O suspeito de ter atirado em uma mulher e no casal de bebês gêmeos da vítima a mando do provável pai foi preso nesta quinta-feira, 19, pela Polícia Civil mineira. Antônio Moreira Pires, de 37 anos, conhecido como "Pedrão", foi encontrado no fim da tarde em uma fazenda em Sacramento, no Alto Paranaíba, onde estaria escondido desde que foi iniciada uma grande caçada pelo acusado.

O corpo de Izabella Marquez Gianvechio, de 22 anos, foi encontrado próximo a Aramina (SP) no último dia 12, quando ela saiu de sua casa em Uberaba, no Triângulo Mineiro, para se encontrar com Matuzalém Ferreira Júnior, de 49. Ele seria o pai dos gêmeos Ana Flávia e Lucas Gianvechio, que tinham 40 dias de vida e foram executados a tiros junto com a mãe.

Segundo a delegada Carla Bueno, Izabella pressionava Matuzalém para que reconhecesse os gêmeos. Ele se apresentou à polícia na terça-feira, 17, e teve a prisão preventiva decretada. O suspeito inicialmente negou envolvimento no crime, mas, diante das evidências, admitiu sua participação nos assassinatos. Foi ele que levou policiais até uma estrada de terra em Buritizal (SP) onde estavam enterrados os corpos dos bebês.

O suposto pai teria contratado o pistoleiro porque não admitia reconhecer a paternidade dos gêmeos, pois é casado é já tem um casal de filhos. Nas investigações, os policiais conseguiram obter imagens de Matuzalém parando seu carro com as vítimas dentro em um ponto de Uberaba para que "Pedrão" entrasse.

O acusado de ter atirado nas vítimas também já havia sido identificado, mas permanecia foragido. Segundo a Polícia Civil mineira, ele foi encontrado em operação comandada pelo delegado Ramon Bucci, chefe do 5º Departamento de Polícia Civil, em Uberaba. O suspeito foi encaminhado para o município do Triângulo Mineiro e a polícia marcou entrevista coletiva para esta sexta-feira, 20, para dar mais detalhes do caso.

Tudo o que sabemos sobre:
Minas Gerais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.