Suspeito na morte de garoto encontrado em lixão se apresenta à polícia no Rio

Ronaldo Prudêncio de Jesus foi identificado como um dos que chicoteou e espancou menino de 13 anos

Pedro Dantas, de O Estado de S. Paulo

18 de maio de 2010 | 12h46

 

RIO - A Divisão de Homicídios (DH) do Rio de Janeiro anunciou na manhã desta segunda-feira, 18, que um dos suspeitos de envolvimento na morte do estudante Emerson Ferreira Porto, de 13 anos, se apresentou à polícia acompanhado por advogados. Ronaldo Prudêncio de Jesus estava prestando depoimento por volta do meio-dia e teria confessado o crime. Outro envolvido, Paulo Henrique Ferreira, de 22 anos, permanece foragido.

Ferreira foi identificado no sábado pela testemunha X., de 10 anos, como um dos homens que o chicoteou e espancou Emerson na manhã de sexta-feira depois que os dois brincaram com um cavalo, em um dos acessos no Morro do Urubu (zona norte). No entanto, mesmo após a identificação, ele foi liberado por policiais da 25ª Delegacia de Polícia do Engenho Novo.

X. foi liberado pelos criminosos, mas o corpo de Emerson foi encontrado ontem por familiares em Tomás Coelho, também na zona norte do Rio.

 

Familiares encontraram na manhã desta segunda-feira, 17, no bairro de Tomás Coelho, na zona norte do Rio, o corpo do estudante Emerson Ferreira Pontes, de 13 anos. Ele estava desaparecido desde a manhã da última sexta-feira, após ser agredido por pelo menos três homens, em um dos acessos ao Morro do Urubu, em Pilares (zona norte), depois de montar em um cavalo.

 

Segundo familiares, o corpo da vítima estava em um lixão, debaixo de telhas e outros objetos. O menino estava deformado com as pernas e os pulsos quebrados.

 

A polícia ainda investiga se o crime teve alguma ligação com o fato de Emerson morar na Favela do Jacarezinho - e o Morro do Urubu ser dominado por uma facção criminosa rival.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.