Suspeitos da morte de ex-deputado são presos na BA

Quatro dos sete suspeitos do assassinato foram presos na cidade de Itamaraju, no sul do Estado

Ricardo Valota e Priscila Trindade,

21 Agosto 2009 | 04h14

A força-tarefa que investiga a morte do empresário e ex-deputado Maurício Cotrim prendeu nesta quinta-feira, 20, quatro suspeitos do assassinato do ex-parlamentar. Outros três mandados de prisão expedidos pela justiça de Itamaraju ainda não foram cumpridos. O cigano Jorge Valdo Dantas Meira foi preso no Web Hotel, em Salvador, e seus três irmãos, José Robson Dantas Meira, Vivaldo Dantas Meira e Jairo Dantas Meira, por sua vez, foram detidos em Itamaraju no sul da Bahia, a 735 quilômetros de Salvador.

 

O crime aconteceu às 17h35 do dia 14 de setembro de 2007, quando o empresário e ex-deputado Maurício Cotrim, na época com 59 anos, fazia uma caminhada na Praça Dois de Julho, no centro de Itamaraju. Ferido no peito por cinco tiros disparados pelo carona de uma motocicleta Honda preta, Cotrim chegou a ser encaminhado para o Hospital Santa Rita, mas morreu durante o trajeto.

 

Em 28 de março de 2009, a mulher do empresário, Maria Angelina Nogueira Guimarães, mais conhecida por Regina Cotrim, foi morta ao sair de uma pizzaria em Itamaraju na companhia de uma das filhas por supostamente fazer pressão pela apuração da morte do marido.

Mais conteúdo sobre:
Maurício Cotrim assassinato

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.