Suspeitos da morte de Toninho serão acareados

O delegado seccional Osmar Porcelli, que investiga o assassinato do prefeito de Campinas, Antônio da Costa Santos, o Toninho do PT, disse, nesta sexta-feira que a falta de identificação visual poderá dificultar o trabalho da polícia, que tem quatro suspeitos detidos.Três deles confessaram o crime. O último suspeito, preso na quarta-feira, continua negando a sua participação no assassinato. A arma utilizada no crime ainda não foi localizada.De acordo com Porcelli, haverá uma acareação entre os quatro suspeitos, marcada para segunda-feira à tarde. Ele disse que precisa colher algumas informações para fortalecer o interrogatório durante a acareação. O inquérito do assassinato do prefeito já soma 500 folhas.Anderson Rogério Davi, de 20 anos, Flávio Mendes Clara, 19, Globerson Luiz da Silva, 19 anos, estão presos no Centro de Detenção Provisória de Hortolândia e na cadeia de São Bernardo, em Campinas.O menor A.S.C. está detido na Febem. Mendes Clara confessou ser o autor dos disparos que matou Toninho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.