Suspeitos de assalto dançam com armas

Em GO, presos por tentativa de latrocínio fazem vídeo com celular

Rosana Melo, GOIÂNIA, O Estadao de S.Paulo

26 de janeiro de 2009 | 00h00

A Polícia Militar prendeu, na madrugada de sábado, em Goiânia, o costureiro Ícaro Cezar dos Santos, de 18 anos, e Lucas Antônio Pereira Neto, de 23. Ambos têm passagem na polícia por roubo e são suspeitos de tentativa de latrocínio, que ocorreu horas antes da prisão, contra a estudante Cecília de Souza Freitas, de 20 anos. Ela foi baleada na cabeça em frente ao prédio onde mora, em Setor Bueno, bairro nobre da capital goiana. Os criminosos foram autuados em flagrante e, com eles, a PM apreendeu um celular com imagens dos dois dançando, portando armas e usando drogas. Cecília estava no carro com o namorado, o estudante Eduardo Henrique de Deus, de 25 anos, quando dois homens com pistolas calibre 380 chegaram ao local em um Corsa branco. Eles desceram do veículo e se posicionaram junto às portas do Montana de Eduardo. Antes mesmo de anunciar o assalto, um deles atirou contra a jovem, tirou Eduardo do carro, atirou mais duas vezes na direção do namorado e levou o carro com Cecília dentro.Duas testemunhas, que estavam em outro carro, pegaram Eduardo e seguiram o Montana e o Corsa, que foi abandonado a algumas quadras do local. A jovem foi socorrida e está no Instituto Neurológico de Goiânia, onde passou por cirurgia para a extração da bala e não corre riscos, apesar de ser mantida em coma induzido.SEGUNDA HIPÓTESEOs suspeitos foram presos pela PM, pois estavam em um Corsa idêntico ao usado na ação. O flagrante, entretanto, pode ser relaxado hoje pela Polícia Civil, que trabalha com outra hipótese. No início da madrugada, o depoimento de três testemunhas - dois rapazes que socorreram Eduardo e o porteiro do prédio - colocaram em dúvida a autoria e a motivação do crime. As testemunhas anotaram a placa do carro usado no crime. A Polícia Civil descobriu, então, que o Corsa apreendido havia sido comprado por Lucas Antônio há 45 dias e que o carro usado pelos criminosos era um similar, de propriedade do entregador Junio Caetano Costa Silva, que disse, em depoimento à polícia, ter emprestado o carro, na sexta-feira, para o amigo Santiago Marques Ferreira Júnior. Ele não foi localizado pela polícia. A polícia investiga agora a informação de que a ex-namorada de Eduardo estava ameaçando Cecília de morte. O diretor-geral da Polícia Civil de Goiás, delegado Aredes Correia Pires, disse ontem que a tese de tentativa de latrocínio é questionável. "O latrocida só atira se a vítima reagir e nunca leva a vítima consigo. Neste caso, o assalto não foi anunciado e a jovem, levada junto", disse. Eduardo contesta a possibilidade de crime passional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.