Suspeitos de assaltos a agências do BB são presos em MG

Quatro suspeitos de envolvimento com os assaltantes de agências do Banco do Brasil no norte e noroeste de Minas Gerais, no último dia 06, foram presos no início da madrugada deste sábado. Os suspeitos estavam em um carro, alugado na cidade de Paracatu, quando foram barrados em uma blitz policial em Bonfinópolis de Minas. Conforme a força-tarefa que coordena as operações na região, os suspeitos portavam documentos falsos e teriam voltado para a região na tentativa de resgatar os comparsas que continuam em fuga. Desde a noite do último domingo, um grande efetivo de policiais civis e militares está à procura de sete pessoas que fizeram três reféns e estariam escondidos em uma área de mata fechada (com cerca de oito mil hectares) do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), na região que abrange as cidades de Riachinho e Bonfinópolis. A polícia investiga ainda se o desaparecimento de um fazendeiro da região tem relação com o caso. A suspeita é de que ele também possa ter sido tomado como refém pelos bandidos. As estradas que dão acesso aos municípios de Riachinho e Bonfinópolis estão cercadas e helicópteros ajudam nas buscas. Os suspeitos presos foram identificados como Wanderley Evangelista Faria, de 31 anos, Edivânio Pereira da Silva, de 31, Max Vieira Dias, 33, e Leila Alves Rodrigues, 32 anos. Eles foram levados para Unaí, no noroeste do Estado. No dia 06, agências do BB em São Romão - a 511 quilômetros de Belo Horizonte - e em Riachinho foram assaltadas. A estimativa é que os bandidos tenham levado R$ 600 mil.

Agencia Estado,

17 Fevereiro 2007 | 19h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.