Suspeitos de ligação com as Farc são transferidos para Manaus

Suspeitos de ligação com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), sete supostos traficantes de drogas presos pela Polícia Militar do Amazonas, no município de Santo Antônio do Iça, foram transferidos para Manaus no final da tarde desta quarta-feira, 16. A cidade fica a 890 quilômetros de Manaus, na fronteira com a Colômbia. De acordo com a assessoria da PM, a transferência visou impedir um eventual resgate dos traficantes por guerrilheiros das Farc.Com os presos foram encontrados nove quilos de cocaína, três espingardas, dois revólveres, quatro pistolas e munição para as armas. Os presos são Luiz Cavalcante de Souza, de 45 anos, Gley Alves Sangana, de 22, Cirlene Alves Sangana, de 29, Wilson Ortiz, de 32, Raimundo Vidal, de 31, Isaías Ferreira, de 41, e Erlisson Gouvêia, de 19. Há ainda um foragido, Ludmilson Holguin, conhecido como Dudu.Nesta quinta-feira, 17, 20 homens do Batalhão de Choque da Polícia Militar e dois policiais federais embarcam para o município, com a finalidade de investigar a ligação das Farc com o grupo dos supostos traficantes. Ainda segundo a assessoria, a movimentação dos PMs e da PF para o município é justificada porque, durante o sábado e o domingo, dias em que os supostos traficantes ficaram presos na delegacia do município, quatro homens vestidos com o uniforme típico das Farc, casacos e calças camuflados, foram vistos rondando o prédio da delegacia.Também vão investigar o assassinato de um índio ticuna, ocorrido há duas semanas. Há suspeitas que o indígena tenha sido assassinado também pelo grupo dos supostos traficantes.Os sete presos são também suspeitos de terem assassinado duas supostas "mulas" (pessoas que ingerem drogas para transportar para outras cidades ou países). Os corpos apareceram boiando no porto do município, mas apenas um foi identificado: Edmilson Balieiro, de 23 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.