Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Suspeitos de ligação com morte de deputado são soltos

O ex-assessor do deputado estadual Marcos Abraão (PSL), Wanderley da Cruz, e o inspetor de polícia Roberto Basila, foram soltos neste domingo porque não se conseguiu provar o envolvimento deles no assassinato do deputado estadual Waldeci Paiva de Jesus, ocorrido em 24 de janeiro deste ano. Ele foi morto a tiros por dois homens que estavam num carro, próximo à sede do PL no Rio, e Abraão, que era seu suplente, assumiu a vaga na Assembléia Legislativa.Duas semanas depois, a polícia apresentou os detentos Jorge Luiz da Silva e Adílson da Silva Pinheiro (ex-PM) como suspeitos. O inspetor Basila foi acusado de ter facilitado a saída deles para cometer o assassinato. Wanderley da Cruz, que é amigo de infância de Abraão e foi seu assessor quando ele era vereador em Rio Bonito, foi acusado de ser o mandante.?Agora a verdade foi restabelecida, pois não se provou nada contra qualquer um dos acusados?, disse hoje o deputado Marcos Abraão, enquanto aguardava a liberação do amigo, que estava na Polinter da Praça Mauá, no centro do Rio. Com isso, a investigação sobre a morte de Waldeci Paiva de Jesus volta à estaca zero.

Agencia Estado,

23 de março de 2003 | 17h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.