Suspeitos de queima de pneus e ameaças de bomba no RS são presos

Até o momento 26 pessoas já foram identificadas como participantes em todos os eventos

Solange Spigliatti, do estadão.com.br,

20 Outubro 2011 | 12h55

SÃO PAULO - Dois suspeitos de provocarem a queima de pneus em rodovias e ameaças de bomba nos últimos dois meses no Rio Grande do Sul, em protesto durante campanha salarial dos policiais, foram presos nesta semana. Os protestos começaram nos primeiros dias de agosto e já se repetiram por mais de 70 vezes em diversas regiões do Estado.

Segundo a Brigada Militar, foram detidos o soldado da Brigada Militar Marcelo Maia, lotado no 24º Batalhão, em Alvorada, e o sargento da reserva João Carlos de Souza. Marcelo Maia é suspeito de participar do vídeo com ameaças ao governador e de colocar um boneco com simulacro de bomba no viaduto da Avenida Borges de Medeiros, no Centro de Porto Alegre e de uma queima de pneus em Alvorada. Ele foi preso por posse de entorpecentes. O sargento Souza, mais conhecido como Lilica, foi preso em flagrante por desacato à autoridade por agredir uma policial militar.

Segundo a Polícia Militar, as investigações ainda não foram concluídas pela Corregedoria e pelo Serviço de Inteligência da Brigada Militar (PM2), mas até o momento 26 pessoas já foram identificadas como participantes em todos os eventos.

A associação que representa cabos e soldados assumiu alguns dos primeiros protestos, mas depois de iniciar negociações salariais com o governo passou a condenar as manifestações, que, no entanto, prosseguiram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.