Suspensa a greve de ônibus em São Paulo

Terminou a greve dos motoristas e cobradores de ônibus em São Paulo. A decisão foi tomada nesta terça-feira à noite durante assembléia realizada pelo sindicato da categoria. Segundo as primeiras informações, motoristas e cobradores conseguiram estabilidade de 60 dias. Os salários serão pagos pela São Paulo Transporte (SPTrans), empresa queadministra o transporte coletivo na capital paulista.Comemoração - Após dois dias de greve, os trabalhadores das empresas de ônibus comemoraram em frente ao prédio do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP), em São Paulo, aquilo que o presidente do sindicato, Edivaldo Santiago da Silva, considerou uma "grande vitoria" naJustiça. Santiago afirmou em discurso que a Justiça garantiu estabilidade de 60 dias no emprego para os grevistas, "quando pedimos apenas15". A grande comemoração veio da decisão dos juízes do TRT-SP, que responsabilizaram a Prefeitura pelo pagamento dos salários, nos próximos 15 dias, dos cerca de 10.800 funcionários das empresas que foram interditadas. Além disso, comemoraram o fato da greve ser declarada abusiva, mas não ilegal.Prefeitura - A Prefeitura deverá gastar cerca de R$ 4 milhões para pagar a quinzena desses funcionários. "É isso mesmo, eles vão ficar em casa recebendo e a Prefeitura pagando", confirmou o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto. O secretário não quis reconhecer a decisão da Justiça como uma grande derrota da Prefeitura e afirmou que cidade está nas mãos do sindicato dos motoristas. "A cidade é refém desse sindicato, não se trata de a Prefeitura ser refém", disse. "A vitória maior da Prefeitura foi tirar esses empresários."

Agencia Estado,

08 de abril de 2003 | 19h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.