Suzane pode estar em presídio de Rio Claro

O advogado Denivaldo Barni, um dos defensores de Suzane von Richthofen, esteve neste sábado de manhã no Centro de Ressocialização de Rio Claro, onde a jovem de 22 anos ficou detida antes de ser libertada, em junho. Funcionários do presídio confirmaram a visita de Barni, mas negaram que Suzane esteja no local. Segundo um funcionário, o advogado foi ao Centro de Ressocialização em busca de informações sobre a moça. Suzane, ré confessa do assassinato dos pais, Manfred e Marísia, foi transferida da Penitenciária Feminina de Sant´ana, em São Paulo, na quinta-feira. A Secretaria de Administração Penitenciária informou apenas que ela seria levada para uma unidade do interior do Estado por motivos de segurança, mas não divulgou para qual presídio. Fontes apontam que ela foi encaminhada para Rio Claro, mas oficialmente nada foi confirmado. "Pode ser que ela venha para cá, mas ainda não veio", disse ao Estado um funcionário do Centro de Ressocialização. O advogado de Suzane, Mário Oliveira Filho, também não confirmou onde está a moça. Ele disse que entrará com um novo pedido de habeas corpus na segunda-feira e que o irá preparar no final de semana. "Suzane não vai sair da cadeia até segunda-feira, não podemos fazer nada até lá", limitou-se a dizer o advogado, comentando que estava neste sábado com a família em um sítio, praticando hipismo. Ele explicou que insistirá na tese de que Suzane não representa ameaça ao irmão Andreas. "A disputa pelos bens é judicial, está sendo conduzida na Justiça e não pessoalmente", alegou. O promotor Roberto Tardelli não foi encontrado neste sábado, nem a advogada que ficou amiga de Suzane quando ela estava presa em Rio Claro, Luiza Helena Sanches.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.