Suzane Richthofen estaria na mesma cela que advogadas do PCC

Suzane von Richthofen, de 22 anos, condenada a 39 anos e 6 meses de prisão por planejar e participar da morte dos pais, em outubro de 2002, em São Paulo, pode estar dividindo a mesma cela com as advogadas do Primeiro Comando da Capital (PCC), Libânia Catarina Fernandes Costa e Valéria Dammous, na Penitenciária Feminina de Ribeirão Preto. A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) informou em nota apenas que "as duas advogadas estão sob custódia da SAP, na Penitenciária Feminina de Ribeirão Preto", mas não admitindo que as três ocupem a mesma cela, da triagem ou seguro.Suzane chegou ao presídio no final da noite de sábado, 2, e terá direito a receber visita apenas dos advogados durante 30 dias. Ela só poderá receber a visita de parentes e amigos quando estiver numa cela comum, mas isso só ocorrerá se for aceita pelas demais detentas. As duas advogadas acusadas de ligações com o PCC estariam na penitenciária de Ribeirão Preto desde meados de junho. Antes da transferência, Suzane cumpria pena no Centro de Ressocialização (CR), de Rio Claro, onde tinha regalias, como usar um computador e acessar a internet para manter contatos com parentes e amigos por e-mails. As regalias, segundo a SAP, irritavam as demais presidiárias. A diretora de Segurança e Disciplina do CR foi afastada para que seja apurado se ela teve envolvimento nas regalias, mas seu nome não foi divulgado.O juiz Alberto Anderson Filho condenou Suzane e o ex-namorado, Daniel Cravinhos, a 39 anos de prisão em regime fechado pelo assassinato dos pais dela,Manfred e Marísia, e seis meses em semi-aberto por fraude processual. Christian, irmão de Daniel, vai cumprir 38 anos em regime fechado e seis meses no semi-aberto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.