Suzane von Richthofen pede absolvição pela morte do pai

Os advogados de Suzane von Richthofen entraram, no início da tarde desta quarta-feira, 26, com pedido de habeas-corpus no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), solicitando a absolvição da jovem pelo assassinato de seu pai, Manfred. Suzane e os irmãos Daniel e Christian foram condenados na madrugada de sábado, 22, pelo 1º Tribunal do Júri de São Paulo, na Barra Funda, pelo assassinato dos pais dela, Manfred e Marísia, em outubro de 2002. Suzane e Daniel, seu ex-namorado, foram condenados a 39 anos e seis meses de prisão. Christian terá de cumprir 38 anos e seis meses. Como Suzane não foi condenada por unanimidade pela morte do pai, a defesa dela acredita que poderá conseguir sua absolvição. Segundo o advogado Mauro Otávio Nacif, defensor da jovem, os jurados a absolveram pela morte do pai, Manfred - da mãe, Marísia, não. Se for julgado procedente, o recurso derruba a pena de Suzane pela metade. Um jurado experiente ouvido pela reportagem do Estado de S. Paulo, que preferiu não ser identificado, contou que, após votarem "sim" nas duas primeiras perguntas sobre a tese da defesa, o juiz Alberto Anderson Filho foi mais explícito na explicação dos quesitos - disse que o "sim" absolvia e o "não" condenava. Houve uma certa surpresa por parte dos jurados. Nas quatro questões seguintes, votaram "não".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.