Suzane von Richthofen se entrega à polícia

Suzane von Richthofen, que confessou ter participado da morte dos pais, se entregou, por volta das 20 horas desta segunda-feira, no 89º Distrito Policial. Depois, ela seria levada para exames no Instituto Médico-Legal do Morumbi. Suzane teve a prisão preventiva decretada pelo juiz Richard Francisco Chequini, após quase um ano de liberdade. O mandado atende a pedido do promotor Roberto Tardelli e foi feito com base em reportagem publicada com exclusividade pelo Estado no sábado, informando que ela queria cuidar do patrimônio da família.Segundo o promotor, o irmão de Suzane, Andreas, corre risco de morrer. ?Andreas é inventariante(administrador dos bens dos pais), autor da ação de exclusão de herança e testemunha no processo. Ou seja, ele se tornou um obstáculo vivo para que ela alcance seu objetivo, que é dinheiro?, disse Tardelli.No sábado, o Estado revelou que, no fim de fevereiro, Suzane procurou a Justiça pedindo para se tornar a gerente do patrimônio dos pais, assassinados em 2002. Suzane confessou ter participado do crime com os irmãos Daniel, seu namorado na época, e Christian Cravinhos. A petição, assinada pelo advogado Denivaldo Barni Júnior, ataca Andreas duramente, dizendo que ele cuida dos bens com ?total descaso e desleixo?, age ?com patente má-fé? e tenta manipular o Judiciário. ?Os termos da petição são de quem se sente roubado?, diz o promotor.O pedido do Ministério Público Estadual (MPE) também cita reportagem exibida domingo no Fantástico, da Rede Globo, na qual - orientada expressamente pelos advogados - Suzane simulou chorar 11 vezes e tentou parecer uma criança traumatizada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.