TAM causou apagão aéreo no Natal, diz Anac

O relatório da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) sobre o apagão no Natal nos aeroportos conclui que a causa do colapso está localizada na operação da companhia aérea TAM. Embora aponte que problemas meteorológicos ou de infra-estrutura, como seqüenciamento de vôos, tenham agravado a crise, o relatório mostra que, entre todas as companhias, só a TAM teve problemas. ?Associados a esses fatores externos, ocorreram problemas na operação da TAM, desencadeados inicialmente pela manutenção não programada de seis aviões.?O relatório, ao qual o Estado teve acesso ontem, mostra ainda que a TAM planejava praticar overbooking - venda de bilhetes acima da capacidade dos vôos - de até 28% em 48 vôos no período do ano-novo. Com o colapso das operações da companhia na época do Natal e após uma auditoria feita por técnicos da Anac, a empresa adotou uma série de medidas preventivas para reduzir esse número. Os vôos com assentos vendidos acima da capacidade foram reduzidos para 11, com overbooking de 3% a 7%. ImpactosA retirada dos aviões da frota, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil, "gerou impactos em cadeia" na malha da companhia. "Os reflexos desse problema desencadearam o chamado ´efeito dominó´, uma vez que os cancelamentos e fusionamento (sic) de vários vôos resultaram na quebra da malha planejada da concessionária, que hoje detém mais de 50% do mercado doméstico, provocando uma sobrecarga no processo de readequação de malha."O relatório fala de manutenção não programada de seis aviões no dia 20. Além desses, outros dois equipamentos, de uma frota doméstica de 86 aviões, já estavam parados para manutenção programada. Não há detalhes sobre as falhas nem o tempo em que os aviões ficaram parados. No início da semana, um executivo da companhia disse à reportagem que apenas quatro aviões haviam sido retirados da operação para manutenção não programada. Procurada ontem para falar sobre o assunto, a companhia afirmou que a informação do relatório estava correta.O relatório não fala especificamente sobre eventuais problemas de gestão na TAM, embora aponte a falta de planos de contingência. Tampouco identifica que tenha havido problemas na operação por conta de excesso de vôos fretados para agências de turismo - embora o governo, após uma reunião de urgência, tenha baixado uma portaria restringindo fretamentos e o próprio relatório recomende restrições nesse sentido. Ao longo da semana, especulou-se que uma das causas dos problemas foi que a TAM privilegiou operações de fretamento em detrimento de vôos regulares, informação negada pela companhia.TransporteO relatório mostra que o overbooking praticado pela TAM no Natal foi de 1% a 7% (média de 4%) em 125 vôos. Os dados foram fornecidos pela companhia a técnicos da agência. Se os números refletem a realidade, faltou aos técnicos explicar por que a companhia planejava praticar taxas de overbooking ainda maiores no ano-novo. A empresa transportou 79.806 passageiros na sexta-feira, 22, pico do feriado, e previa transportar 66.789 ontem. O relatório mostra que o aumento da demanda não pode ser apontado como uma causa da crise. Na sexta anterior à do feriado, por exemplo, a TAM transportou, sem dificuldade, 82.246 passageiros. Procurada, a TAM não quis se pronunciar sobre o relatório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.