TAM confirma 186 pessoas no avião; caixa-preta é achada

Uma das duas caixas-pretas do avião da TAM que se chocou contra prédios e pegou fogo perto do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, com 186 pessoas a bordo, foi encontrada, informou nesta quarta-feira a Secretaria de Segurança Pública do Estado. A TAM havia informado na terça-feira que o avião Airbus 320 transportava 176 passageiros, o que foi retificado esta manhã. A secretaria não soube informar qual das caixas foi recuperada, a do gravador de voz ou a com os dados de vôo. O equipamento foi enviado à Aeronáutica para a análise, segundo a secretaria. No início da manhã, a secretaria confirmou a morte de 93 pessoas, indicando que esse poderá ser o pior acidente aéreo da história do país. Equipes de resgate continuam trabalhando no local do acidente, máquinas estão retirando os escombros dos prédios atingidos e ainda se via fumaça saindo da área. Segundo o governador de São Paulo, José Serra, que visitou o local na noite de terça-feira, os bombeiros relataram que a temperatura do avião pode ter chegado a 1.000 graus Celsius, o que tornaria impossível haver sobreviventes. Entre os passageiros estava o deputado federal Julio Redecker (PSDB-RS). O Airbus, que fazia o vôo JJ 3054 e partiu de Porto Alegre no final da tarde de terça-feira, não conseguiu frear ao aterrissar no início da noite em Congonhas, passando por cima de uma importante avenida de São Paulo antes de se chocar contra os prédios e um posto de gasolina. Um dos prédios atingidos foi o da TAM Express, onde havia funcionários trabalhando. A Airbus afirmou, em comunicado, que está enviando uma equipe de cinco especialistas da empresa ao local do acidente. A companhia disse ainda lamentar o desastre com o avião operado pela TAM e que vai prestar toda a assistência a autoridades brasileiras e internacionais envolvidas na investigação. Ao saber do acidente, no início da noite de terça-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva convocou autoridades para uma reunião em Brasília e decretou luto de três dias no país. A TAM providenciou o transporte de parentes e amigos das vítimas para São Paulo ainda na quarta-feira. O acidente de terça-feira deve superar a tragédia de setembro do ano passado com um Boeing da Gol em Mato Grosso, no qual todas as 154 pessoas a bordo morreram. (Com reportagem de Henrique Barbosa)

SÉRGIO S, REUTERS

18 Julho 2007 | 09h58

Mais conteúdo sobre:
MANCHETES ACIDENTE BALANCO QUARTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.