DMAE/Divulgação
DMAE/Divulgação

Tanque estoura e 25 toneladas de resíduos vazam em MG

Técnicos monitoram a situação para avaliar qual tipo de material teria sido despejado nos rios; atenção está voltada ao sistema de abastecimento da cidade

Rene Moreira, Especial para O Estado

24 Agosto 2017 | 12h21

O vazamento de 25 toneladas de resíduos, quase tudo argila, colocou Poços de Caldas (MG) em alerta nesta quarta-feira, 23. Parte do material foi parar em córregos que desaguam na represa Saturnino de Brito, que abastece a cidade. A substância é utilizada na fabricação de porcelanas e vazou do tanque de uma unidade da Lorenzetti.

A companhia diz que material não é danoso e que trata-se de "barbotina", mistura de argila, caulim e água.  Técnicos monitoram a situação para avaliar qual tipo de material teria sido despejado nos rios. A atenção está voltada ao sistema de abastecimento da Estação de Tratamento de Água-ETA 1. 

"O mais importante é assegurar, por meio de análises químicas, que a água não foi contaminada, buscando preservar a saúde da população", afirma Antônio Roberto Menezes, diretor do Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE). "Continuamos monitorando a situação, mas em princípio não haverá a paralisação do abastecimento de água."

Mais conteúdo sobre:
Poços de Caldas [MG] Lorenzetti

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.