Tarifa do metrô não deverá subir neste ano, diz Lembo

O governador de São Paulo, Cláudio Lembo, admitiu nesta quarta-feira, 8, a possibilidade de não haver o reajuste na tarifa do metrô paulistano neste ano. Ele afirmou ter discordado das planilhas apresentadas com as opções de reajuste e solicitou a realização de novos estudos com tarifas entre R$ 2,20 e R$ 2,60, ou seja, com reajustes entre 4,76% e 23,8% sobre o valor atual, de R$ 2,10 para o bilhete unitário. "Eu não aceitei as planilhas anteriores e mandei refazê-las; portanto não há decisão e nem data fixada para o aumento e nem sei se vai haver aumento neste ano; não vai haver extorsão do povo de São Paulo por tarifa", afirmou Lembo, que participa, em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, do seminário que comemora os dez anos do curso de pós-graduação de Gerente de Cidade da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP),Lembo afirmou que ainda não há prazo, mas é possível que os novos estudos de tarifa do metrô sejam apresentados em 10 ou 15 dias para serem novamente avaliados por ele. O governador também confirmou a retomada das obras de duplicação da Rodovia Abraão Assed, entre a cidade paulista e o município vizinho de Serrana, paralisadas há um ano.Ele disse ainda ter autorizado o estudo para a implantação de uma unidade da Faculdade de Tecnologia de São Paulo (Fatec) em Ribeirão Preto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.