Tarja preta pode tirar carteira

Ministro quer restrição também para usuário de droga

Fernanda Aranda e Vitor Hugo Brandalise, O Estadao de S.Paulo

16 de setembro de 2008 | 00h00

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, defendeu ontem a restrição de CNHs para usuários de drogas e de medicamentos psicotrópicos, os chamados tarja preta. As declarações de Temporão estão alinhadas com as idéias defendidas pelo ministro das Cidades, Márcio Fortes, conforme já havia antecipado o Estado.''Ainda não existe um texto pronto, mas estamos recebendo demandas nessa área'', afirmou. ''Precisamos estudar como seria a regulamentação (da restrição para usuários de drogas ilícitas e terapêuticas), se por meio de uma lei específica ou por ajustes na legislação.''O desafio, admite o ministro, seria quanto à fiscalização da nova norma de trânsito, uma vez que atualmente não existem equipamentos capazes de medir a dosagem do uso de drogas. Dados preliminares divulgados ontem, com base num estudo realizado pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), revelaram que 1,5% dos motoristas que trafegam em rodovias federais nos arredores de cinco capitais (Porto Alegre, Florianópolis, João Pessoa, Cuiabá e Maceió) usaram maconha e cocaína momentos antes de dirigir.Entre 563 motoristas abordados nas rodovias federais, cerca de 2% deles utilizavam maconha - e 1,5% havia usado cocaína. ''Tivemos algumas surpresas, como o fato de motoristas de ônibus serem do grupo que mais apresentou uso de maconha (2,4% dos abordados)'', diz a pesquisadora Raquel Deboni, uma das coordenadoras desse levantamento.O estudo completo em rodovias federais próximas das 26 capitais e do Distrito Federal, segundo a Senad, estará finalizado até março de 2009.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.