Tarso diz que situação de presídios do Pará não é atípica

Ministro da Justiça diz que não se surpreenderia se novos acasos como o da jovem estuprada aparecessem

Elder Ogliari, de O Estado de S. Paulo,

30 Novembro 2007 | 18h52

O ministro da Justiça, Tarso Genro, admitiu que a violação de direitos humanos nos presídios do País, como o caso da menina de 15 anos violentada dentro de uma cela masculina em Abaetetuba (PA), não é uma situação atípica. "Não me surpreenderia se novos acasos aparecessem", comentou, ao ser questionado sobre o assunto por repórteres à saída da cerimônia de lançamento do Plano Nacional de Habitação Para Policiais, no prédio da Justiça Federal, nesta sexta-feira, em Porto Alegre. Vídeo não é de L., garante deputado que viu foto da menina Advogados pedem ação imediata contra abusos Menor deficiente foi violentado em prisão do PA, denuncia OABMiséria e prostituição na trilha de L.  Segundo Tarso, a violação de direitos humanos "está acontecendo no País, neste momento, em vários presídios". O ministro acredita que todos os casos devem ser denunciados, para punição de culpados e para mostrar que o modelo prisional está falido e esgotado e precisa das mudanças estruturais que o Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci) está fazendo.

Mais conteúdo sobre:
TarsoJustiçaParáL.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.