Tarso e Cabral se reúnem para discutir sobre a violência no Rio

Encontro com o ministro foi sugerido pelo presidente Lula durante conversa com o governador fluminense

estadao.com.br,

27 de outubro de 2009 | 10h33

O ministro da Justiça, Tarso Genro, e o governador do Rio, Sérgio Cabral, se reúnem nesta terça-feira, 27, para discutir o problema da segurança no Estado. Na pauta estariam assuntos como as mudanças na lei antidrogas, que prevê pena mais branda aos pequenos traficantes e usuários, e como dificultar a saída de grandes criminosos dos presídios.

 

Veja também:

linkONGs: governo e polícia do Rio agem de maneira vingativa

linkEnterrada a 47ª vítima de confrontos contra o tráfico no Rio

mais imagens Blog da Foto: Notícias de uma guerra não tão particular

 

A recente onda de crimes no Rio, semanas após a escolha da cidade como sede da Olimpíada de 2016, fez com que o governo tomasse medidas para mudar a situação da violência. Cabral já disse que tem conversado diariamente por telefone com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para relatar o problema da falta de segurança no Rio. Durante uma dessas ligações, o presidente sugeriu a reunião entre Tarso e o governador.

 

Após uma tentativa de invasão feitas por traficantes de facções rivais a uma favela na zona norte carioca, 47 pessoas morreram vítimas da violência - entre as vítimas estão inocentes e policiais. Além disso, a morte de um coordenador do AfroReggae pode colocar em pauta a assuntos como a preparação de policiais e os investimentos do governo na área de segurança pública.

 

Criminosos assaltaram o ativista social e atiraram. Minutos depois, uma viatura da PM chegou ao local, os policiais abordaram os bandidos, recolheram o material roubado e liberaram os suspeitos, sem socorrer a vítima que agonizava na calçada do centro da cidade. "São bandidos ao quadrado. É inaceitável o que ocorreu", afirmou Cabral sobre o assunto na semana passada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.