Tarso Genro anuncia medidas para reduzir acidentes de trânsito

Entre as propostas, está o aumento no valor das multas e a criminalização de delitos cometidos ao volante

Vannildo Mendes, de O Estado de S. Paulo,

31 de janeiro de 2008 | 09h28

O aumento de pelo menos 60% no valor das multas e a criminalização de delitos de trânsito, como dirigir alcoolizado ou reincidir no excesso de velocidade, estão entre as propostas do pacote de medidas a ser anunciado nesta sexta-feira, 31, pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, para reduzir a violência no trânsito. Algumas medidas entram em vigor em breve, para serem aplicadas no carnaval, período em que mais morrem pessoas nas estradas - como a medida provisória que proíbe a venda de álcool ao longo das rodovias federais, válida a partir desta sexta-feira, 1. Outras serão enviadas ao Congresso como projeto de lei. As medidas do pacote foram estudadas por um grupo de trabalho criado em dezembro. Até o fim desta quarta-feira, 30, Tarso não havia batido o martelo sobre todas elas, mas é certo que trarão mudanças significativas ao dia-a-dia das estradas. Entre as medidas estudadas estão até o seqüestro e apropriação de veículos de motoristas reincidentes, que passarão a responder processo criminal. Está prevista a redução da gradação alcoólica permitida para motoristas, atualmente de 0,5 grau, o equivalente a uma latinha de cerveja ou uma dose de uísque. Os motociclistas, responsáveis pelo crescimento da violência no trânsito das grandes cidades, também estão entre os alvos do pacote. Entre as medidas em estudo estão a proibição de dirigir na faixa entre os carros e de conduzir caronas. O trânsito mata mais de 40 mil pessoas por ano. Só em 2007, ocorreram 6.840 mortes só nas rodovias federais, 10% a mais que em 2006. Essas ocorrências deixam mais de 200 mil feridos, muitos com seqüelas permanentes. O custo dos acidentes para o País supera R$ 5 bilhões, de acordo com o governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.