Tarso Genro diz que carta de FHC mostra "desespero" da oposição

O ministro das Relações Institucionais, Tarso Genro, afirmou que a carta do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, divulgada na semana passada, tem aspectos positivos e negativos. A afirmação foi feita em entrevista concedida à reportagem da Rádio Gaúcha, na manhã desta segunda-feira.Tarso destacou que, entre os aspectos positivos, está o reconhecimento de que o esquema do "valerioduto" começou com o PSDB, em Minas Gerais. O negativo, comentou Tarso, é que o ex-presidente tucano joga para fora uma crise interna do PSDB.O ministro considerou ainda que foi uma forma de Fernando Henrique Cardoso demarcar território, pois ele se ofereceu como interlocutor do partido. Tarso afirmou também que as críticas ao governo Lula têm sido muito duras.Tarso considerou que, durante um ano e meio, houve um cerco político com o objetivo de fazer Lula desmoronar. Tarso afirmou que, como a estratégia não deu certo, já que Lula ganhou prestígio no período, a oposição vem atacando ainda mais forte, numa demonstração de desespero. O ministro defendeu ainda o ex-presidente do PT José Genoino, afastado devido à denúncia de que estaria envolvido com o esquema do mensalão. Para Genro, Genoino cometeu erros, está pagando amargamente por eles, mas acredite que ele vai se recuperar. Tarso declarou que, após a eleição, independentemente de quem vença, os grandes partidos deveriam se reunir para discutir a reforma política. No seu entender, o sistema atual está "vencido".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.