Tarso Genro quer federalizar o combate às milícias no Rio

Ministro da Justiça irá oferecer essa possibilidade ao governador Sergio Cabral, que irá decidir questão

Wilson Tosta, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2009 | 13h13

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou na tarde desta quarta-feira, 11, que oferecerá ao governador do Rio, Sergio Cabral Filho (PMDB), a possibilidade de federalização do combate às milícias (grupos paramilitares que dominam comunidades pobres). Tarso, que recebeu na terça em Brasília relatório da CPI da Assembleia Legislativa do Estado que investigou esses grupos, entregue pelo deputado Marcelo Freixo (PSOL), afirmou que a federalização acontecerá se for desejo do governador.   Veja também: Justiça condena ex-parlamentares integrantes de milícia no Rio   "Já existe uma colaboração da Polícia Federal com a Polícia Civil e com o governo. O que vamos ver agora, a partir desse relatório, conversando com o governador, é que tipo de aporte ele precisa para dar continuidade e aprofundamento ao combate. Inclusive a possibilidade de, se o governador assim quiser, federalizar essa questão", declarou Tarso, após participar da assinatura de repasse de R$ 8 milhões à prefeitura do Rio para implantação do programa Território da Paz na comunidade de Acari.   A solenidade, da qual também participou o prefeito Eduardo Paes (PMDB), foi realizada na própria comunidade, em um palanque armado num campo de futebol. Antes de sair, o ministro tocou surdo com a bateria do bloco carnavalesco Favo de Acari, que participou da festa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.