Tasso cobra explicação de Lula sobre dossiê Vedoin

O presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati, cobrou do presidente Luiz Inácio Lula da Silva uma explicação pública sobre a participação de seus assessores próximos com a venda do dossiê Vedoin, que seria usado como trunfo contra políticos tucanos. Para Tasso, a descoberta do telefonema feito pelo chefe de gabinete do presidente, Gilberto Carvalho, a Jorge Lorenzetti, apontado como o mentor do dossiê, retrata o quanto o Palácio do Planalto estava envolvido na manobra. "Gilberto Carvalho não dá um passo sem autorização ou conhecimento de Lula. Como explicar o telefonema? Não venha agora o presidente dizer que ele não sabia de nada."Jereissati também julga indispensável uma explicação rápida do presidente sobre a notícia, divulgada na edição desta semana da revista Veja, de que seu filho Fábio Luis Lula da Silva durante dois anos trabalhou numa sala do escritório de Alexandre Paes dos Santos - a quem o senador chamou de gângster conhecido em Brasília. "Uma nuvem densa de desconfiança paira sobre o filho do presidente. É preciso que tudo seja explicado antes das eleições." O senador pelo Ceará afirmou que, por enquanto, o partido não pensa em adotar nenhuma medida. "Vamos aguardar até segunda-feira. Esperamos que até lá o presidente explique seu real envolvimento com o dossiê. Somente depois desse prazo, pensaremos no que fazer."O presidente do PSDB avalia que o segundo turno das eleições não deve ser realizado sob um clima de desconfiança, que, para ele, é crescente. "Isso não faria bem ao País. Daí o apelo para que o presidente venha a público dar sua explicação. O mais rápido possível." Jereissati evitou fazer projeções sobre os efeitos de uma eleição num clima de várias suspeitas e investigações. "Ninguém deseja que a rotina das instituições seja quebrada, ou que haja qualquer ameaça. Justamente por isso, é importante o presidente falar", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.