Taurus ameaça mudar produção de armas para os EUA

O diretor-presidente da Forjas Taurus, Carlos Alberto Murgel, admitiu hoje a hipótese de examinar a transferência da produção de Porto Alegre para os Estados Unidos se o Estatuto do Desarmamento, em análise no Senado, prejudicar o mercado externo na companhia. Ele ponderou que, se a legislação brasileira se tornar mais restritiva, inclusive às importações, os Estados Unidos também poderão aumentar a proteção de seu mercado. A unidade da Taurus em Porto Alegre fornece 97% das vendas aos EUA, onde a empresa detém entre 16% e 18% do mercado de revólveres, um segmento disputado por 11 fabricantes.Murgel avaliou que o Estatuto do Desarmamento teria um impacto reduzido em termos porcentuais nas vendas ao mercado civil brasileiro, mas estrategicamente o segmento representa muito, disse. O projeto teria reflexo, por exemplo, na economia de escala da Taurus, que teria de elevar preços para compensar uma eventual queda de produção. O mercado externo representa entre 65% e 70% das vendas da companhia. No Brasil, a venda direta para o mercado civil está entre 10% e 15% das vendas, afirmou Murgel. Ele considerou "uma falácia" fora de propósito a avaliação de que o estatuto conseguiria diminuir a criminalidadde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.