Táxi em São Paulo oferece acesso à Internet

Desde o início desta semana, dez táxis que fazem ponto nas avenidas Luiz Carlos Berrini e Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo, estão oferecendo aos passageiros um serviço inédito de acesso à Internet, denominado Taxi-Email. A RWB Taxi, uma empresa especializada em mídia em táxis, decidiu investir em serviços diferenciados para melhorar o padrão de qualidade oferecido no transporte de passageiros. Esses veículos são equipados com palm tops conectados a celulares com tecnologia WAP, que dão aos passageiros acesso à Internet e a seus correios eletrônicos. "Pensamos em oferecer um serviço que poupasse o tempo dos passageiros", afirma Murilo de Almeida Filho, diretor operacional da RWB Taxi. Os usuários não pagam para usufruir do serviço, sendo os custos cobertos pela RWB.A empresa investiu R$ 20 mil na aquisição dos palms e dos celulares, recursos que fazem parte de um montante maior, de R$ 1 milhão, que está sendo aplicado no treinamento dos motoristas, na elaboração de um roteiro com o mapeamento das principais cidades do País e de um sistema para os anunciantes possam conferir a veiculação de sua propaganda.Segundo Almeida, a meta é expandir o projeto para outras cidades no País. "Em 60 dias, queremos ir para o Rio de Janeiro", diz. Ele pretende ter até o final do ano 5 mil táxis com o serviço em todo o Brasil. Mas a disseminação da idéia ainda depende de parcerias, que já estão sendo negociadas com provedores de Internet, bancos e seguradoras.Os táxis que oferecem o Taxi-Email não pertencem a nenhuma frota, ou seja, são de motoristas autônomos. "Pretendemos disponibilizar o serviço para táxis de frotas se fecharmos parcerias com as operadoras. Estamos por enquanto arcando sozinhos com os custos, mas a idéia é dividir com as companhias."O executivo estima que, ao possibilitar o acesso à Internet aos passageiros, os motoristas possam aumentar em até 30% o seu lucro mensal. "É importante mencionar a melhoria da qualidade do serviço. Os taxistas vão qualificar muito seus passageiros."A RWB tem planos de ter uma frota própria no próximo semestre, mas não revela o montante de recursos destinado ao projeto. A companhia pertence à RWB Comunicação, que atua na área de propaganda em ônibus e é uma unidade do Grupo Ruas, que gerencia diversas viações de ônibus na capital paulista.

Agencia Estado,

12 de maio de 2001 | 13h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.