Taxista é torturado por traficantes no Rio

O taxista Carlos Alberto Oliveira, de 38anos, foi resgatado por policiais do 9.º Batalhão da PolíciaMilitar (Rocha Miranda), depois de ter passado a madrugada empoder de traficantes do Morro Jorge Turco, em Honório Gurgel,zona norte do Rio. Oliveira teria sido confundido com umpolicial pelos criminosos e foi torturado. Ele dirigia o táxi Santana, placa LJZ-5607, e deixou,por volta de 1 hora de hoje, um passageiro na base do MorroJorge Turco, na esquina da Avenida dos Italianos com a Rua dasJaqueiras. Oliveira preparava-se para deixar o local, quando foicercado por um grupo de oito homens e obrigado a seguir para oalto do morro. O taxista foi espancado durante toda a madrugada paraque confessasse ser policial militar. Os traficantes acreditavamque ele estava disfarçado e fazia parte do serviço reservado dacorporação. Eles disseram a Oliveira que o cabelo curto, cortadono estilo militar, havia revelado o suposto disfarce. Pela manhã o 9.º Batalhão recebeu a denúncia anônima de que havia umseqüestro no Jorge Turco. Os PMs chegaram no momento em que otaxista seria executado pelos traficantes. Houve troca de tiros e um traficante foi ferido. Umhomem negro, de cerca de 25 anos, não identificado, morreu acaminho do Hospital Carlos Chagas. Com ele, a polícia apreendeuum revólver calibre 38. Há 40 dias, o soldado do ExércitoRogério Batista Rego foi vítima de crime semelhante. Rego estavanum ônibus e seguia para a Vila Militar, quando um grupoanunciou o assalto. Identificado como militar, ele foi levado para o alto doMorro da Lagartixa, onde foi torturado. Rego também foilibertado por policiais militares. Fallet - O inspetor Leandro de Oliveira Sampaio, daCoordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil, foiatingido de raspão por um tiro de fuzil na coxa direita, depoisde uma troca de tiros com traficantes do Morro Fallet, em SantaTeresa, zona sul da capital fluminense. O confronto ocorreu namanhã de hoje, quando os policiais da Core davam cobertura a umaequipe do Instituto de Criminalística (IC) Carlos Éboli, quedeveria periciar o corpo de um aposentado, encontrado morto emsua casa. Ao ver a movimentação policial, os traficantes iniciaramo confronto. Ninguém foi preso. Sampaio foi atendido no HospitalSouza Aguiar e passa bem.

Agencia Estado,

16 de novembro de 2002 | 13h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.