Taxista mantido refém em porta-malas morre em acidente

Veículo bateu em um barranco durante perseguição policial na rodovia SP-332, no município de Jundiaí

Ricardo Valota, da Central de Notícias,

09 de fevereiro de 2010 | 04h49

Uma perseguição a um táxi com quatro suspeitos dentro terminou, por volta da 2h15 desta terça-feira, 9, com a morte do taxista Sérgio Condack Nogueira, de 42 anos, no quilômetro 73,5 da pista sentido Valinhos da Rodovia Vereador Geraldo Dias (SP-332), no município de Jundiaí.

 

Ao cruzarem com o veículo, policiais do Tático Ostensivo Rodoviário (TOR) do 4º Batalhão suspeitaram dos quatro ocupantes e realizaram a abordagem, dando início à perseguição, que só terminou após o rapaz que estava ao volante bater o Classic contra um barranco. Com o quarteto, os policiais não apreenderam arma de fogo, mas ao abrirem o porta-malas do carro, encontraram o taxista, que era mantido refém, gravemente ferido e desacordado.

 

Segundo a Polícia Militar, não havia marca de tiros no corpo de Sérgio. Tanto os suspeitos como a vítima foram encaminhados para o Hospital São Vicente de Paula, onde foi confirmada a morte de Sérgio. O caso será registrado no plantão da Delegacia de Polícia Participativa (DPP) de Jundiaí.

Mais conteúdo sobre:
taxistamorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.