Taxista tem enfarte durante manifestação

O taxista auxiliar Paulo Roberto Mileze Moreira, de 38 anos, morreu de enfarte, durante uma passeata que saiu da sede da prefeitura, na Cidade Nova, em direção ao Fórum do Rio, no Centro. Ele participava de um protesto do movimento Diárias Nunca Mais, que reivindica autonomias para mais de três mil taxistas auxiliares, que hoje pagam diárias para trabalhar. Bombeiros que socorreram Moreira afirmaram ter encontrado uma caixa do remédio Isordil em seu bolso. O medicamento serve para evitar ataques de coração. Surgiu, também, a informação de que o taxista morto - que bebia e fumava - seria diabético. O líder do movimento negou-se a confirmar isso. De acordo com o movimento, 1,8 mil pessoas estavam presentes ao protesto. A Guarda Municipal avaliava em 1,2 mil o número de manifestantes. Vestidos com camisetas amarelas que traziam escritos o nome do movimento e o do ex-prefeito Luiz Paulo Conde, eles batiam em panelas e sopravam apitos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.