Taxistas tentam acabar com frotas em SP

Uma comissão, composta por 23 associações de taxistas de frota, conversou ontem com os líderes de todos os partidos na Câmara. Pediram sua colaboração para que o projeto de lei do Executivo que acaba com as empresas de frota na cidade seja votado com urgência. Solicitaram também preferência aos 4.200 motoristas das frotas na licitação que vai determinar a distribuição dos alvarás que hoje pertencem às empresas. Os motoristas decidiram iniciar a negociação com os líderes depois de terem se reunido com o presidente da Câmara, José Eduardo Martins Cardozo, e com o líder do governo, Arselino Tatto, ambos do PT. O projeto de extinção das frotas está na Comissão de Constituição e Justiça e deverá tramitar ainda pelas Comissões de Transportes, Administração e Finanças. Por sugestão do vereador Carlos Giannasi (PT), os motoristas vão pressionar para que na próxima semana seja realizado um Colégio de Comissões, para que a proposta seja examinada de uma só vez e possa seguir para o plenário. "O projeto é muito bom, porque acaba com o trabalho escravo existente nas frotas", disse Giannasi. "Com o fechamento das empresas haverá desemprego, por isso vou apresentar uma emenda dando prioridade aos motoristas de frotas na licitação dos novos alvarás." Giannasi também quer que os vereadores e os motoristas façam pressão política para obter linhas de crédito do Banco do Povo da Prefeitura e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para financiar a aquisição dos táxis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.