Técnico negou aval a extensões

Encarregado da rede diz que não autorizou gambiarras

Bruno Tavares e Eduardo Reina, O Estadao de S.Paulo

25 de janeiro de 2008 | 00h00

O engenheiro eletricista Dirceu Bravin, encarregado da rede elétrica do Hospital das Clínicas, disse anteontem à polícia que não havia autorizado as extensões elétricas feitas no Prédio dos Ambulatórios.Segundo ele, o depósito atingido por um princípio de incêndio na manhã de quarta-feira funcionava com instalações irregulares. "Ele estava assustado com o que havia acontecido e queria dizer que não concordava com aqueles procedimentos", disse o delegado Eduardo Navarro, titular do 14º Distrito, em Pinheiros.Em nota divulgada anteontem, o HC negou que houvesse qualquer instalação elétrica na sala, exceto a iluminação. Embora tenha sido escalado pela direção do hospital para prestar depoimento sobre o incêndio do dia anterior, Bravin não participou, ontem, da vistoria feita pelo Ministério Público Estadual (MPE). O Estado tentou contactar o engenheiro, mas ele não atendeu as ligações.Por determinação do delegado-geral da Polícia Civil, Maurício José Lemos Freire, o inquérito que apura os incêndios de anteontem e do dia 24 de dezembro foi encaminhado, na manhã de ontem, ao Departamento de Investigações Sobre Crime Organizado (Deic). A justificativa, segundo delegados ouvidos pelo Estado, era a de que havia suspeita de sabotagem, alardeada pelo governador José Serra (PSDB), que ontem minimizou a hipótese.A partir de agora, a investigação deverá ser conduzida por uma das delegacias do Deic, com a supervisão do diretor do departamento, Youssef Abou Chahin. Uma das primeiras providências dos investigadores deverá ser a requisição das imagens do circuito interno de TV do Prédio dos Ambulatórios.Há pelos menos três câmeras vigiando os dois corredores que dão acesso à rampa em que fica o depósito atingido pelo foco de incêndio. FRASEEduardo NavarroDelegado titular do 14.º DP, em Pinheiros"Ele (o engenheiro eletricista Dirceu Bravin, encarregado da rede elétrica do Hospital das Clínicas) estava assustado com o que havia acontecido e queria dizer que não concordava com aqueles procedimentos"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.