Técnicos da transição recebem senhas para acessar informações

Portal elaborado pelo Planejamento contém dados sobre principais projetos e sua execução orçamentária

Lu Aiko Otta, Vera Rosa / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

09 Novembro 2010 | 00h00

BRASÍLIA

Os trabalhos da transição entre governos começaram ontem com a nomeação de 7 dos 50 técnicos que a presidente eleita, Dilma Rousseff, poderá escalar para auxiliá-la até o fim deste ano. Eles receberam senhas para acessar um portal elaborado pelo Ministério do Planejamento, contendo informações sobre os principais projetos de cada pasta e a execução orçamentária deles. "Estamos carregando hoje no site os dados referentes a Orçamento e pessoal", contou o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo.

Além de discutir os problemas imediatos em relação às contas de 2011, a primeira reunião do grupo de transição serviu para dividir tarefas.

Ficou acertado que o vice-presidente eleito, Michel Temer (PMDB), e o presidente do PT, José Eduardo Dutra, vão coordenar os trabalhos políticos. Os deputados Antonio Palocci (PT-SP) e José Eduardo Martins Cardozo (PT-SP) comandarão a parte técnica pelo lado da equipe de Dilma.

Pelo lado do governo, Paulo Bernardo vai se ocupar das discussões sobre o Orçamento Geral da União. O ministro interino da Casa Civil, Carlos Eduardo Esteves Lima, será o principal interlocutor pelo lado administrativo.

Ele se encarregou, por exemplo, de elaborar um livro sobre os principais itens de cada ministério. Há relatórios on line sobre a situação da cada pasta mostrando o "estado da arte" de cada uma.

A equipe de Dilma recebeu a chamada "Agenda 120", que lista tarefas de rotina a serem cumpridas por cada ministério nos primeiros 120 dias do ano. Ela diz, por exemplo, que a proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2012 deve ser enviada ao Congresso até o dia 15 de abril.

"Vamos tentar fazer as coisas da forma menos burocrática possível", disse Bernardo. "Se eles precisarem, é só ligar." Em teoria, o próximo encontro entre a equipe de transição e a do governo está marcado para amanhã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.