Tecnologia é estrela em feira de educação em SP

Simuladores de imagens virtuais, jogos eletrônicos que ensinam como combater a dengue, máquinas de escrever em braile e portais cibernéticos com professores de plantão 24 horas.A tecnologia informática, cada vez mais presente nas salas de aula, é o grande destaque este ano da Educar-Feira Internacional de Educação, que abriu as portas para o público nesta quarta-feira no Expo Center Norte, na zona norte de São Paulo, e vai até sábado.Dos mais de 400 expositores, 42% fazem da tecnologia didática seu principal produto.Lado a lado com o lápis, a borracha e o caderno, softwares com imagens em 3D e portais on-line com lições em formato multimídia são apresentados como os mais novos aliados pedagógicos do mundo digital.A idéia não é substituir o professor por uma tela de computador, mas tornar o ensino mais fácil e divertido para os alunos. "A tecnologia na educação nasceu como uma grande solução, tornou-se um bicho-papão e hoje é uma ferramenta auxiliar", afirma o diretor da Promofair Eventos, Carlos Soares, que organiza a exposição."Quem vai substituir o professor não é a tecnologia, é o professor que sabe dominar essa tecnologia." Um dos destaques da feira, que no ano passado atraiu 90 mil educadores, é um simulador parecido com brinquedo de fliperama. Um programa permite que o aluno viaje pelo interior de uma célula enquanto ouve uma explicação detalhada. Mas nem tudo na feira é baseado em percepção visual. Uma rede de escolas está divulgando um projeto pioneiro pelo qual todo o seu material didático foi transcrito para o método braile. Com isso, deficientes visuais poderão estudar melhor em salas de aula comuns.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.