Teleférico do Alemão transporta mais de 16 mil pessoas no 2° dia de operação

Transporte ainda é gratuito; é o primeiro sistema de transporte de massa por cabos no Brasil

Priscila Trindade, estadão.com.br

12 Julho 2011 | 08h44

SÃO PAULO - Nesta segunda-feira, o Teleférico do Alemão, transportou 16.844, o dobro de passageiros da última sexta-feira, primeiro dia de operação.

 

O teleférico foi inaugurado na quinta-feira pela presidente Dilma Rousseff. Construído pela Secretaria estadual de Obras, esse é o primeiro sistema de transporte de massa por cabos do Brasil.

 

O teleférico está integrado ao sistema de transporte ferroviário e tem seis estações - Bonsucesso, Adeus, Baiana, Alemão, Itararé/Alvorada e Palmeiras. A viagem da primeira estação à última tem duração de 16 minutos.

 

No primeiro mês de operação, os passageiros não precisam pagar para andar no teleférico. Nesse período, o teleférico funcionará de segunda a sexta, das 9 às 11 horas e de 14 às 16 horas.

 

Na segunda fase do projeto, também com duração de 30 dias, o transporte continuará a ser gratuito e os passageiros poderão usar o teleférico de segunda a sexta das 9 às 12 horas e das 14 às 17 horas.

 

Após esse prazo, a tarifa passa a ser paga. Cada morador do complexo - devidamente cadastrado pela RioCard por meio de apresentação de CPF e comprovante de residência - terá direito a duas passagens gratuitas diárias (uma de ida e outra de volta). A passagem custará R$ 1. Nessa terceira fase do projeto, com duração de 60 dias, o teleférico ficará operante de segunda a sexta das 8 às 18 horas; sábados das 9 às 16 horas; domingos de 9 às 15 horas.

 

A partir de novembro, o teleférico passa a operar de forma plena, de segunda a sexta, das 6 às 21 horas; sábado, das 8 às 20 horas; domingos e feriados, das 9 às 15 horas. A tarifa de integração trem/teleférico custará R$ 2,80 e o bilhete para turistas, com direito a embarcar e desembarcar em todas as estações, custará R$ 10.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.