XANDO PEREIRA/AGÊNCIA ATARDE
XANDO PEREIRA/AGÊNCIA ATARDE

Temer lamenta naufrágios no PA e na BA: 'Causas precisam ser apuradas'

Presidente colocou à disposição a estrutura federal para ajudar nas buscas e no apoio aos sobreviventes

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

24 Agosto 2017 | 13h40
Atualizado 24 Agosto 2017 | 16h42

BRASÍLIA - O presidente da República Michel Temer lamentou no início da tarde desta quinta-feira, 24, os dois naufrágios de barcos ocorridos em menos de 24 horas, em Porto de Moz (PA) e Mar Grande (BA), que somados deixaram pelo menos 39 mortos. 

O acidente no Rio Xingu nesta quarta-feira, 23, deixou 21 pessoas mortas - outras 23 pessoas sobreviveram. Já a embarcação que fazia a travessia de Mar Grande a Salvador na manhã desta quinta vitimou 18, segundo a Marinha.

"Lamentamos profundamente a perda de dezenas de vidas nos acidentes com embarcações no Pará e na Bahia. Nossa solidariedade às famílias", disse Temer, que usou o Twitter para se manifestar. 

Temer pediu apuração das causas do acidente. "Colocamos à disposição estrutura federal para ajudar nas buscas e no apoio aos sobreviventes. As causas dos acidentes precisam ser apuradas", afirmou.

 

Bahia

​A embarcação Cavalo Marinho tinha capacidade para levar até 162 passageiros. O acidente ocorreu a 200 metros do Terminal marítimo. O chamado de emergência para a Capitania foi recebido através do rádio por volta das 8 horas. De acordo com a Prefeitura de Vera Cruz, a lancha saiu do terminal da Ilha por volta das 6h30 com destino a Salvador.

De acordo com a Sesab, dos resgatados, 70 estão na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no município de Vera Cruz, 15 estão no Hospital Municipal de Itaparica, em Itaparica, dois estão no Hospital do Subúrbio, em Salvador, e dois estão no Hospital Geral do Estado (HGE), também na capital baiana.

Foi o segundo acidente hidroviário no Brasil em pouco mais de 24 horas. Nesta quarta-feira, 23, um barco naufragou em Porto de Moz, no Pará, deixando 21 mortos.

 

Acidentes com embarcações

Dados do sistema Datasus, do Ministério da Saúde, que contabiliza atendimentos médicos em todo o País, aponta que, nos últimos 10 anos, 1.289 pessoas morreram em acidentes de transporte sobre a água. Só os Estados do Pará e do Amazonas, locais onde a conexão entre as cidades é feita majoritariamente por barcos, registraram 610 casos, quase metade das ocorrências.

A Bahia, onde uma embarcação com 123 pessoas naufragou nesta quinta-feira, 24, fica empatado em segundo lugar com o Ceará entre os Estados do nordeste com mais acidentes. Na última década, há registro de 37 mortos em cada um dos dois. Quem tem mais registros é o Maranhão, com 79 ocorrências.

 

Mais conteúdo sobre:
Michel Temer Naufrágio Porto de Moz [PA]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.