Temer recorre a Cristo e fala em luta pela 'partilha dos cargos'

No almoço que reuniu ontem 38 senadores da base aliada e 18 ministros, o presidente da Câmara e candidato a vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), inspirou-se em frase de Jesus Cristo, nos evangelhos, para convidar os senadores a participarem do próximo governo. "Quero saudá-los neste momento de partilha do pão, queremos partilhar com vocês o próximo governo", anunciou.

Andrea Jubé Vianna / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2010 | 00h00

Questionado se Temer não estaria se precipitando, já que faltam dois meses para a eleição, o líder do governo e vice-presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR), consertou: "Antes de partilhar, primeiro temos que ganhar o governo. Estamos dividindo hoje o pão, a carne e um pouquinho de camarão", ironizou. A frase de Jucá era uma tentativa de minimizar a acusação que se faz aos peemedebistas: a de que estariam fazendo, cedo demais, seus cálculos para a partilha de cargos.

É a primeira vez, desde a fundação do partido, que o PMDB participa de um projeto de governo a partir da campanha eleitoral. Tradicionalmente, ele se alinou ao partido da situação depois das eleições. No atual governo Lula, o PMDB está à frente de seis ministérios, além de nomeações no segundo escalão, nas agências reguladoras e diretorias de estatais.

Se a candidata do PT à Presidência for eleita, o partido espera contar com fatia ainda maior da administração federal.

Promovido pelo vice-líder do governo no Senado, Gim Argello (PTB-DF), o evento foi organizado para aproximar os senadores dos ministros, num momento em que se espera maior engajamento de todos na campanha de Dilma, no momento em que a campanha começa a esquentar.

Mas a petista não compareceu ao evento. Coube ao candidato a vice na chapa presidencial convocar os senadores e ministros a concentrarem seus esforços na luta para elegê-la. "A campanha da Dilma nos Estados está entregue a vocês. Não se ganha eleição de Brasília, a campanha parte dos Estados", delegou o peemedebista.

Questionada sobre o "apetite" do PMDB e a metáfora do "pão compartilhado", Dilma disse que Temer falou espiritualmente sobre a partilha do eventual governo: "Meu vice estava num momento bíblico."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.