Temer reúne PMDB para evitar desgaste

Em almoço, vice discutirá denúncias sobre a Conab; Raupp defende extinção da estatal

Eduardo Bresciani / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2011 | 00h00

Antecipando-se a um possível desgaste do PMDB com a denúncias de suposto esquema de corrupção na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada a pasta da Agricultura, o vice-presidente, Michel Temer, convidou políticos da sigla para um almoço hoje no Palácio do Jaburu.

No encontro devem ser discutidas as acusações de corrupção no ministério da Agricultura feitas por Oscar Jucá Neto, irmão do líder do governo Romero Jucá (PMDB-RR). O ministério é ocupado por Wagner Rossi, indicação de Temer. Jucá Neto, em entrevista à revista Veja, afirmou que o PMDB transformou a Conab numa "central de negócios" e que a estatal hoje abriga "só bandidos".

O líder do governo e o vice-presidente conversaram sobre o tema no final de semana. Jucá disse a Temer que não concordava com a posição do irmão e pediu desculpas pelas declarações. Ele também já pediu desculpas à presidente Dilma Rousseff pelo episódio.

Segundo interlocutores de Temer, o vice acreditou em Jucá e os dois estão "em paz". A presença de Jucá no almoço, porém, não foi confirmada.

No PMDB, o sentimento é de arrependimento pela indicação de Jucá Neto para ocupar um cargo de direção na Conab. A nomeação ocorreu em junho e ele foi demitido semana passada sob a alegação de que teria liberado um pagamento irregular.

Lideranças lembram que houve muita resistência à indicação porque Oscar já tinha tido problemas quando trabalho na Infraero, durante o governo Lula. Ele foi demitido em abril de 2009 por ordem do ministro da Defesa, Nelson Jobim.

Na ocasião, Jucá ficou ao lado do irmão e fez duros ataques a Jobim. Agora, o líder do governo procura se afastar de Oscar após os ataques feitos pelo irmão.

Extinção. O presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), defendeu ontem a extinção da Conab. "Se extinguir a Conab, ninguém vai perceber que existia. A Conab, hoje, tem papel de nenhuma importância", disse Valdir Raupp.

O presidente do PMDB disse ainda que as atividades de compra e distribuição de alimentos atualmente realizadas pela Conab poderiam ser repassadas a um departamento do Ministério da Agricultura.

Na contração, o ministro da Agricultura, Wagner Rossi, que já havia desmentido as acusações feitas por Jucá Neto, disse ontem que a Conab exerce um papel fundamental no atual cenário da agropecuária brasileira.

"A Conab esteve para ser extinta na Era Collor. Agora faz um trabalho melhor, ano a ano", disse o ministro, destacando as ações da empresa na área de Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) e nos cálculos das estimativas de safra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.