Temor na caserna é de escalada de revanchismo

Surpreendidos com a nomeação do ex-chanceler Celso Amorim para o Ministério da Defesa, militares temem que o diplomata queira vasculhar o passado e derrubar a Lei de Anistia. Sob a gestão de Nelson Jobim, o governo fez acordo com os comandantes militares e com parte da oposição em torno do polêmico projeto que cria a Comissão da Verdade.

, O Estado de S.Paulo

06 Agosto 2011 | 00h00

O projeto tramita na Câmara com prioridade desde maio de 2010, com o aval do Ministério da Justiça e da Secretaria de Direitos Humanos. Pelo acordo, não haverá mudanças na anistia. Criada no regime militar, a lei impede a apuração de crimes cometidos por agentes de Estado durante a ditadura (1964-1985).

Na terça-feira, Jobim teria uma reunião com as bancadas do PSDB em busca de apoio para o projeto. Não se sabe, até agora, se Amorim manterá o encontro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.