Temporais afetam 5 mil famílias de 29 cidades do Rio Grande do Sul

Passagem por duas pontes está interrompida; três pessoas morreram no Estado entre quinta-feira e domingo

Elder Ogliari, O Estado de S. Paulo

20 Outubro 2014 | 20h27

PORTO ALEGRE - Os temporais ocorridos entre quarta-feira, 15, e domingo, 19, no Rio Grande do Sul deixaram um saldo de três pessoas mortas e cinco mil residências com algum tipo de dano em 29 municípios do Rio Grande do Sul. A passagem por duas pontes, nas estradas de Candelária para Novo Cabrais e de Candelária para Cerro Branco, no centro do Estado, ainda estava interrompida no fim da tarde desta segunda-feira, 20, quando o levantamento foi divulgado pela Defesa Civil.

Duas pessoas morreram na quinta-feira. As vítimas foram uma mulher de 74 anos, ferida por telhas em Sertão, no norte do Estado, e uma menina de 12 anos, atingida por um raio em Canguçu, no sul do Estado. A terceira morte ocorreu no domingo, em Gramado, onde uma mulher de 29 anos foi esmagada por uma árvore derrubada pelo vento.

Embora não tenham sido contínuos, os temporais atingiram todas as regiões do Estado. Em alguns casos, a chuva de granizo ou fortes ventanias furaram ou arrancaram telhados. Em outros, aguaceiros inundaram residências. Entre os municípios mais prejudicados estão Palmeira das Missões, no noroeste, Rosário do Sul, no sudoeste, Tupanciretã, no centro, e Eldorado do Sul, no leste do Estado, todos com centenas de casas danificadas. Não há desabrigados. Muitos moradores aproveitaram o bom tempo desta segunda-feira para fazer reparos e limpeza em suas residências.

A previsão do 8º Distrito de Meteorologia para os próximos dias é de tempo parcialmente nublado, com névoa úmida, mas sem perspectiva de outros temporais, para toda esta semana.

Mais conteúdo sobre:
Rio Grande do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.