Temporais deixam três mortos no Rio e Minas Gerais

Os temporais que atingiram a região sudeste entre quarta e quinta-feira causaram a morte de duas pessoas no Rio de Janeiro e outra em Minas Gerais, além de ter feito estragos e deixar moradores desabrigados. As áreas de instabilidade devem provocar chuva forte no Rio de Janeiro, no Espírito Santo, em Goiás, em Tocantins, na Bahia, em Minas Gerais e no Distrito Federal, entre esta sexta-feira, 1º, e sábado, 2, segundo a Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec). Já a previsão para o Estado de São Paulo indica que tempo deve melhorar a partir desta sexta. Na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, um adolescente de 14 anos morreu na manhã desta quinta-feira após o desabamento de uma residência no Bairro General Caneiro, em Sabará. Já no Rio de Janeiro, desde segunda-feira os fortes temporais causaram estragos em algumas regiões do Estado e deixaram dois mortos. Em Nova Iguaçu, duas pessoas morreram afogadas: uma criança de 3 anos foi vítima de uma enxurrada que invadiu a creche e o corpo de um jovem de 17 anos foi encontrado em um rio. As áreas mais afetadas são Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, e Teresópolis, na região serrana.Algumas famílias foram levadas para abrigos improvisados em colégios da região. Ao todo, já são mais de 200 pessoas desalojadas e mais de 60 desabrigadas.São PauloSão Paulo registrou o mês de novembro mais chuvoso dos últimos 12 anos. Durante todo o mês, choveu 216,8 mm na cidade, 48% a mais do que a média esperada, que era de 146 mm, segundo informações do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura. Na madrugada desta quinta-feira a cidade registrou fortes chuvas, principalmente nas regiões oeste e sul. Às 9 horas, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou 164 quilômetros de congestionamento, índice três vezes acima da média para o horário, que é de 51 quilômetros, e o terceiro maior do ano no período da manhã. O CGE registrou 22 pontos de alagamento na capital, sendo três deles intransitáveis. Na Grande São Paulo, o município de Osasco foi um dos mais atingidos pelo temporal. Por volta das 4 horas uma forte chuva atingiu a cidade, causou o transbordamento do Córrego Ribeirão Vermelho que alagou diversas ruas e deixou moradores do Jardim Rochedale ilhados. Na Avenida Brasil, a altura da água chegou a 1,5 m. Mesmo as casas que tinham comportas não agüentaram a força da enxurrada. Segundo a Defesa Civil de Osasco, a chuva parou às 8 horas. Não houve registro de feridos e nem desabrigados. Na região do ABC paulista, a chuva forte da noite de sábado provocou a morte de um jovem tetraplégico em São Bernardo do Campo, no ABC. Marco Antônio Pessoa da Silva, de 33 anos, afogou-se depois que o Ribeirão dos Couros transbordou e alagou sua casa, na Rua João Gerbelli, bairro Demarchi, onde morava com os pais e as irmãs.InteriorO Estado de São Paulo também teve uma quarta-feira chuvosa, quando vários incidentes foram registrados. Em São José dos Campos, um ônibus foi arrastado pela correnteza quando o asfalto da avenida por onde ele transitava cedeu, na noite de terça-feira. Cerca de 40 passageiros do coletivo tiveram de pular pelas janelas para não serem levados pela água.Em Ribeirão Preto, a forte chuva que caiu durante cerca de 40 minutos, na noite de quartao, voltou a provocar o transbordamento de córregos e alagamentos de residências e estabelecimentos comerciais. Seis adultos e quatro crianças tiveram de passar a noite na casa que abriga mendigos e migrantes, mas já retornaram às suas casas. Foram distribuídos pela prefeitura 80 colchões e 61 cestas básicas.também no interior do Estado, a chuva causou transtornos e alagamentos. Na região central da cidade, algumas tampas de bueiros se soltaram com a pressão da água. Também foi registrada falta de energia elétrica no centro do município.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.