Temporal causa deslizamento e uma morte no RS

Em menos de duas horas choveu o equivalente a um mês no município de Três Coroas

Lucas Azevedo,

10 Janeiro 2010 | 23h09

A forte chuva que caiu no início da tarde deste domingo, 10, sobre o município gaúcho de Três Coroas, a 72 km de Porto Alegre, causou muita destruição e uma morte. Do meio dia às 13 horas choveu 200 milímetros, o equivalente a um mês de precipitação prevista nessa época.

 

A torrente transbordou os arroios que deságuam no rio Paranhana, fazendo com que água e lama invadissem a cidade, destruindo casas e tomando o centro. No meio da tarde o sol voltou a aparecer, mas a expectativa era de que a chuva retornasse até o início da noite. De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Três Coroas, comandante do Corpo de Bombeiros Augusto Dreher, o temporal foi mais forte do que o ocorrido em 26 de setembro de 2009, quando 320 pessoas ficaram desabrigadas.

 

Nesse domingo, uma pessoa morreu. Iremar Paltes Batista, de 49 anos, caiu em um arroio quando tentava ajudar familiares a escaparem da enchente. Vinte casas acabaram parcialmente ou totalmente destruídas e cerca de 400 famílias foram atingidas.

 

Nesta segunda-feira, a prefeitura de Três Coroas e a Defesa Civil se reúnem para avaliar os estragos. "Deve ser decretado situação de emergência", avaliou Dreher.

 

Igrejinha

 

Em Igrejinha, a 6 km de Três Coroas, a chuva também chegou forte. Em quatro horas choveu cerca de 100 milímetros, 58,6% de todo o volume de precipitação previsto para o mês de janeiro. As principais ruas da cidade foram alagadas e uma ponte no centro foi interditada devido a rupturas provocadas pela água. Duas crianças foram resgatadas com vida em meio ao barro.

 

A chuva também gerou congestionamento na RS-115. Entre os quilômetros 14 e 27 houve pontos de bloqueio de pista por deslizamento de terra e alagamento, interrompendo o trânsito por duas horas entre a cidade e a Serra gaúcha.

Mais conteúdo sobre:
chuva Rio Grande do Sul enchentes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.